---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?

Saúde
Vigilância Sanitária divulga boletim sobre mosquito Aedes Aegypti

Publicado em 11/02/2020 às 10:51 - Atualizado em 11/02/2020 às 10:51

     A Vigilância Sanitária e a Vigilância Epidemiológica de Antônio Carlos tornam público que, em fevereiro do corrente ano, foi coletada pelo agente de endemias do município, uma larva na armadilha mantida pelo Programa da Dengue em endereço da Rua Daniel Petry, no Centro, a qual após análise laboratorial, resultou em positivo para o mosquito Aedes Aegypti, significando a existência de foco no local. Tal resultado, porém, não significa que o mosquito esteja contaminado com os vírus transmissores da Dengue, Chikungunya e/ou Zika Vírus, já que isto só é possível identificar a partir do momento que uma pessoa picada é diagnosticada com tais doenças. Por isso ressaltamos a importância das ações de prevenção e a atenção em não acumular água parada em reservatórios abertos, sem os devidos cuidados. Alertamos que a situação é alarmante em todo o Estado, e vários municípios da grande Florianópolis são considerados infestados. O foco apresentado já vêm sendo combatido pelo agente de endemias e, portanto, pedimos a colaboração em recebê-lo neste momento tão importante. Também é imprescindível que em toda a cidade sejam intensificadas pelos moradores a verificação e eliminação de locais que acumulem água. Vale lembrar que uma simples tampinha de garrafa é o suficiente para que a fêmea do mosquito ponha seus ovos.

 

Como funciona o Programa da Dengue

 

     Assim que identificada a existência de foco do mosquito, o agente de endemias realiza a delimitação deste local, traçando no mapa um perímetro de 300 metros para todos os lados a partir do foco encontrado e então realiza a inspeção de todos os imóveis existentes dentro deste perímetro, verificando possíveis reservatórios de água parada (vasilha de água de animais, garrafas, pneus, caixas d’água abertas, piscinas e outros) que poderiam servir de criadouro para o mosquito. Se encontrados possíveis reservatórios de água parada o agente de endemias aplica imediatamente o larvicida neles.

 

     As armadilhas são pneus cortados ao meio e depositados em 19 locais espalhados pelo município, que são mantidas pelo Programa da Dengue, e monitoradas semanalmente pelo agente de endemias. Além disso o agente de endemias ainda monitora locais considerados pontos estratégicos, como cemitérios, oficinas mecânicas, ferros velhos, rodoviária, depósitos de bebidas e outros. Portanto, é nas armadilhas e pontos estratégicos que são coletadas larvas a serem destinadas para análise laboratorial, podendo nestes locais serem encontradas larvas de diversos tipos de mosquitos, inclusive do mosquito da Aedes Aegypti.

 

     Cabe esclarecer e alertar que o local onde foi encontrada a larva do mosquito não é responsável pela sua proliferação, mas sim um aliado do monitoramento. Partindo da evidência de que se ali neste local foi encontrada uma larva do mosquito pelo Programa da Dengue, significa que pelo menos um mosquito adulto vem sobrevoando este perímetro e possivelmente depositando ovos também em outros imóveis. Portanto, se tivessem sido visitados todos os imóveis, seria muito possível que fossem registradas outras incidências de presença de larvas dentro deste mesmo perímetro. Desta forma é imprescindível informar que qualquer um de nós pode ser o responsável, caso tenhamos em nossas residências reservatórios com água parada, sem nos preocuparmos com os cuidados necessários para prevenir a proliferação do mosquito Aedes Aegypiti.

 

     A seguir, apresentamos o Boletim Epidemiológico n. 02/2020 que apontam os municípios considerados infestados pelo mosquito Aedes Aegypti no estado de Santa Catarina.

 

http://www.dive.sc.gov.br/index.php/arquivo-noticias/1024-boletim-epidemiologico-n-02-2020-vigilancia-entomologica-do-aedes-aegypti-e-situacao-epidemiologica-de-dengue-febre-de-chikungunya-e-zika-virus-em-santa-catarina-atualizado-em-01-02-2020-se-05-2020

 

Maiores informações no link: http://www.dengue.sc.gov.br

Vigilância Sanitária: cvisa@antoniocarlos.sc.gov.br

Vigilância Epidemiológica: epidemiologia@antoniocarlos.sc.gov.br